ISSN on-line: 2358-288X
Reprodução & Climatério Reprodução & Climatério
Reprod Clim 2016;31:151-8 - Vol. 31 Núm.3 DOI: 10.1016/j.recli.2016.07.004
Artigo original
Acesso e permanência das usuárias do Sistema Único de Saúde no Programa de Reprodução Assistida de um hospital universitário, com ênfase na variável raça/cor
Access and permanence of Brazilian National Health System users in Assisted Reproduction Program of a university hospital with emphasis on race/color
Marilise Oliveira Mesquita, , , Graziella Chaves Trevilato, Michelle da Silva Schons, Deise Lisboa Riquinho, Suzana Záchia, Eduardo Pandolfi Passos
Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS, Brasil
Recebido 22 Junho 2016, Aceitaram 30 Julho 2016
Resumo
Objetivo

Caracterizar aspectos étnicos, econômicos e sociodemográficos das mulheres que acessaram o Serviço de Reprodução Assistida de um hospital universitário, encaminhadas pela atenção básica, e discutir as condições que fazem com que as usuárias adiem o tratamento ou desistam dele, com destaque no quesito raça/cor das usuárias.

Métodos

Estudo transversal, em que a totalidade das usuárias que deram entrada no programa do Serviço de Reprodução Assistida de um hospital universitário, de janeiro de 2013 a março de 2014, foram entrevistadas presencialmente (145). Na segunda etapa do trabalho, em outubro e novembro de 2015, foi feito contato por telefone, com as mulheres que já haviam participado da primeira entrevista, com o intuito de compreender as dificuldades, o sucesso ou o insucesso do tratamento e as razões para a não permanência no programa.

Resultados

Foi observado que as mulheres pretas/pardas tiveram acesso e permaneceram no serviço, em proporções semelhantes às mulheres brancas, de acordo com a representatividade dessa raça/cor no Estado do Rio Grande do Sul. O estudo mostrou uma desistência de 35% antes mesmo do início do tratamento e um abandono de 30% durante o tratamento, o principal motivo foi de ordem financeira.

Conclusão

Apesar do custo elevado dos medicamentos, existe fila de espera para o atendimento, embora, paradoxalmente, ocorra um número expressivo de desistências e abandonos do tratamento.

Abstract
Objective

To characterize racial, economic and socio‐demographic aspects of women who accessed Assisted Reproduction Service at a university hospital, referred by primary care, and to discuss the conditions that cause the users to postpone or quit treatment, highlighting the item of user's race/color.

Methods

It was performed a cross‐sectional study in which all of the users that entered the Assisted Reproduction Service program, from January 2013 to March 2014, were interviewed in person (145 women). In the second stage of the work, in October and November 2015, telephone contact was made with women who had participated in the first interview, in order to understand the difficulties, success or failure of treatment and the reasons for not persisting in the program.

Results

It was observed that the black women had access and remained in the service in proportions similar to white women, according to the representativity of this race/color in the state of Rio Grande do Sul The second stage showed abandonment of 35% even before the start of treatment, and 30% during the treatment, and financial issues being the main reason for quiting.

Conclusion

Despite the high cost of medicines, there is a waiting list for the service, although, paradoxically, there is an expressive number of abandonment.

Palavras‐chave
Técnicas de reprodução, Saúde da mulher, Infertilidade, Serviços de saúde
Keywords
Reproductive techniques, Women's health, Infertility, Health services
Reprod Clim 2016;31:151-8 - Vol. 31 Núm.3 DOI: 10.1016/j.recli.2016.07.004