ISSN on-line: 2358-288X
Reprodução & Climatério Reprodução & Climatério
Reprod Clim 2015;30:70-6 - Vol. 30 Núm.2 DOI: 10.1016/j.recli.2015.09.002
Original article
Factors associated with the severity of menopausal symptoms in postmenopausal Brazilian women
Fatores associados com a intensidade dos sintomas menopausais em mulheres brasileiras na pós-menopausa
Emille Joana Medeiros Capistrano, , Kathiussa Dombek, Ana Carolina Carioca da Costa, Lizanka Paola Figueiredo Marinheiro
Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ, Brazil
Recebido 01 Setembro 2015, Aceitaram 06 Setembro 2015
Abstract
Purposes

To identify the socio-demographic and anthropometric profile and correlate them with the severity of menopausal symptoms in postmenopausal women.

Methods

Cross-sectional study with 201 postmenopausal women attended in a Gynecology Outpatient Department in Rio de Janeiro city (RJ, Brazil). A questionnaire was applied for collection of demographic, socioeconomic, clinical and lifestyle variables. The Blatt–Kupperman Menopausal Index was used to evaluate the menopausal symptoms.

Results

Women with moderate to severe symptoms (≥20) corresponded to 57.7% (116) of the sample. Obesity was not associated with the severity of menopausal symptoms (p<0.90). Severe to moderate symptoms were inversely associated with age (PR 0.96; CI 95% 0.94–0.99; p<0.01). Women within 6–10 years of menopause presented nearly 1.4 times higher prevalence of moderate to severe symptoms compared with those with more than 10 years of menopause. Unemployed women (PR 1.52; CI 95% 1.13–2.04; p<0.01) and housewives (PR 1.53; CI 95% 1.12–2.09; p<0.01) presented higher prevalence of menopausal symptoms compared with working women. Tobaccoism was associated with higher prevalence of moderate to severe symptoms (p<0.01).

Conclusions

Age constituted a protection factor for moderate to severe symptoms, whereas having within 6–10 years of menopause, smoking and being unemployed or a housewife were factors related to higher prevalence of moderate to severe menopausal symptoms.

Resumo
Objetivo

Identificar o perfil sociodemográfico e antropométrico e associá-los com a intensidade dos sintomas menopausais em mulheres na pós-menopausa.

Métodos

Estudo transversal com 201 mulheres na pós-menopausa atendidas em um ambulatório de ginecologia no Rio de Janeiro/RJ. Foi aplicado um questionário para coleta das variáveis demográficas, socioeconômicas, clínicas e hábitos de vida. O Índice Menopausal de Blatt–Kupperman (IMBK) foi utilizado para avaliar os sintomas menopausais.

Resultados

Mulheres com sintomas moderados a grave (≥20) corresponderam a 57,7% (116) da amostra. A obesidade não foi associada com a intensidade de sintomas menopausais (p<0,90). Os sintomas moderados a intensos associaram-se inversamente com a idade (RP 0,96; IC95% 0,94–0,99; p<0,01). Mulheres com tempo de menopausa entre 6 e 10 anos apresentaram cerca de 1,4 vezes maior prevalência de sintomas moderados a intensos quando comparadas com aquelas com mais de 10 anos de menopausa. Mulheres desempregadas (RP 1,52; IC95% 1,13–2,04; p<0,01) e donas de casa (RP 1,53; IC95% 1,12–2,09; p<0,01) apresentaram maior prevalência de sintomas menopausais quando comparadas com mulheres trabalhando. O tabagismo foi associado a maior prevalência de sintomas moderados a intensos (p<0,01).

Conclusões

A idade constituiu fator de proteção para sintomas moderados a intensos. Enquanto que ter entre 6 à 10 anos de tempo de menopausa, ser tabagista e ser desempregada ou dona de casa foram fatores associados a uma maior prevalência de sintomas menopausais moderados a intensos.

Keywords
Severity of menopausal symptoms, Post menopause, Risk factors, Signs and symptoms, Menopausal symptoms
Palavras-chave
Intensidade dos sintomas menopausais, Pós-menopausa, Fatores de risco, Sinais e sintomas, Sintomas menopausais
Reprod Clim 2015;30:70-6 - Vol. 30 Núm.2 DOI: 10.1016/j.recli.2015.09.002