ISSN on-line: 2358-288X
Reprodução & Climatério Reprodução & Climatério
Reprod Clim 2017;32:31-8 - Vol. 32 Núm.1 DOI: 10.1016/j.recli.2016.02.001
Artigo de revisão
Indução de ovulação em pacientes com tumor estrogênio‐dependente: diretrizes clínicas da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana
Ovulation induction in patients with estrogen‐dependent tumors: a Brazilian Society of Human Reproduction clinical practice guideline
Bruno Ramalho de Carvalhoa,b,, , João Pedro Junqueira Caetanob,c, Mário Cavagnad, Ricardo Mello Marinhob,c, Adelino Amaral Silvaa,b, Hitomi Miura Nakagawaa
a Genesis Centro de Assistência em Reprodução Humana, Brasília, DF, Brasil
b Rede Brasileira de Oncofertilidade, Brasil
c Pró‐Criar Medicina Reprodutiva, Belo Horizonte, MG, Brasil
d Centro de Referência em Saúde da Mulher, Hospital Pérola Byington, São Paulo, SP, Brasil
Recebido 30 Janeiro 2016, Aceitaram 08 Fevereiro 2016
Resumo

A oncofertilidade é um campo de interesse interdisciplinar de desenvolvimento recente que busca mesclar os conhecimentos em oncologia e medicina reprodutiva, com a contribuição das técnicas de reprodução assistida, para o desenvolvimento de estratégias de preservação da função gonadal e oferecer a possibilidade da procriação biológica aos sobreviventes de câncer. As estratégias de preservação da fertilidade feminina em pacientes oncológicas atualmente aceitas para a prática rotineira são a criopreservação de embriões e a criopreservação de oócitos maduros. Ocorre que, para execução de ambos, a indução de ovulação é obrigatória e, com ela, vêm os riscos teóricos de estimulação do crescimento de tumores estrogênio‐dependentes e a postergação do início do tratamento antineoplásico. Os protocolos de estimulação ovariana de início aleatório contemplam a intenção de se minimizar o atraso no início da quimioterapia ou radioterapia e o bloqueio ao crescimento tumoral e oferecem resultados satisfatórios, semelhantes aos obtidos em protocolos de início habitual. Apresentamos neste artigo as diretrizes clínicas da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana para indução de ovulação em pacientes com tumor estrogênio‐dependente.

Abstract

Oncofertility is an interdisciplinary interest field of recent development, which aims to merge the knowledge in oncology and reproductive medicine, with the help of assisted reproductive technologies, to develop strategies for gonadal function preservation and to offer the possibility of biological procreation to cancer survivors. Preservation strategies of female fertility in oncological patients currently accepted for routine practice are the cryopreservation of embryos and cryopreservation of mature oocytes. It happens that ovulation induction is mandatory for executing both strategies, and with it the theoretical risk of stimulation of estrogen‐dependent tumors growth and the postponement of anti‐neoplastic treatment. Random‐start ovarian stimulation protocols include the intention of minimizing the delay in onset of chemo‐radiotherapy and to block tumor growth, providing satisfactory results, similar to those obtained in the usual beginning protocols. This article presents the clinical guidelines of the Brazilian Society of Human Reproduction for ovulation induction in patients with estrogen‐dependent tumors.

Palavras‐chave
Neoplasias da mama, Preservação da fertilidade, Fertilização in vitro, Estimulação ovariana, Oncofertilidade
Keywords
Breast neoplasms, Fertility preservation, Fertilization in vitro, Ovarian stimulation, Oncifertilidade
Reprod Clim 2017;32:31-8 - Vol. 32 Núm.1 DOI: 10.1016/j.recli.2016.02.001