ISSN on-line: 2358-288X
Reprodução & Climatério Reprodução & Climatério
Reprod Clim 2013;28:108-11 - Vol. 28 Núm.3 DOI: 10.1016/j.recli.2014.05.003
Artigo original
Prevalência de Chlamydia trachomatis em mulheres submetidas à fertilização assistida em Goiânia
Prevalence of Chlamydia trachomatis in women undergoing assisted reproduction in Goiânia
Isabela Aparecida Carvalho Protoa, Jéssyka de Menezes Carneiroa, Xisto Sena Passosa,, , Fábio Silvestre Ataídesa, Waldemar Naves do Amaralb
a Faculdade de Biomedicina da Universidade Paulista (Unip), Goiânia, GO, Brasil
b Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil
Recebido 15 Março 2014, Aceitaram 27 Maio 2014
Resumo
Objetivo

identificar dentre as mulheres que recorrem à fertilização assistida as que têm positividade para sorologia de Chlamydia trachomatis.

Método

estudo retrospectivo, do tipo transversal. As informações foram obtidas por meio da avaliação de prontuários de pacientes. Para que o estudo fosse concluído foi necessária uma amostra de 120 prontuários. A coleta foi feita com a seleção da primeira paciente de cada mês, a exclusão da segunda, a seleção da terceira e assim consecutivamente, para constituir uma amostra significativa de forma aleatória. Por meio da análise dos prontuários foram verificados os critérios de inclusão e exclusão.

Resultados

a frequência de infecção por Chlamydia trachomatis foi de 39% e uma paciente apresentou as duas sorologias positivas. A maior incidência de IgG positivo foi na faixa entre 36 e 39 anos.

Conclusão

a prevalência de sorologia positiva para Chlamydia trachomatis foi de 40%. É importante o desenvolvimento de ações assistenciais e educacionais contínuas para o cuidado com a saúde, principalmente o rastreamento em mulheres jovens, para controle da disseminação e prevenção de sequelas das doenças sexualmente transmissíveis.

Abstract
Objective

identify among women using assisted fertilization those with seropositivity for Chlamydia trachomatis.

Method

was a retrospective, cross‐sectional. Data were collected through evaluation of patient records, the required sample was 120 charts. The collection was made by selecting the first patient of each month and was performed after a jump from a patient, with a close third to be analyzed, and so on, constitute a significant sample randomly without giving preferences. Through the analysis of the records were checked for inclusion and exclusion criteria.

Results

the frequency of Chlamydia trachomatis infection was 39%, one patient had two positive tests. The highest incidence of positive IgG was aged between 36‐39 years.

Conclusion

the prevalence of positive serology for Chlamydia trachomatis was 40%. It is important to develop actions and continuing educational assistance for health care, especially in screening young women for controlling the spread and prevention of sequelae of sexually transmitted diseases.

Palavras‐chave
Chlamydia trachomatis, Sorologia, Infertilidade feminina, Fertilização, Fertilização in vitro
Keywords
Chlamydia trachomatis, Serology, Infertility female, Fertilization, Fertilization in vitro
Reprod Clim 2013;28:108-11 - Vol. 28 Núm.3 DOI: 10.1016/j.recli.2014.05.003