ISSN on-line: 2358-288X
Reprodução & Climatério Reprodução & Climatério
Reprod Clim 2014;29:54-9 - Vol. 29 Núm.2 DOI: 10.1016/j.recli.2014.08.002
Artigo de revisão
Vitamina D e diabetes mellitus, suas epidemias e o envelhecimento. O que há de novo?
Vitamin D and diabetes mellitus, their epidemics and the aging. What is new?
Monique Resende Costa Machado, , Saint Clair Gomes Junior, Lizanka Paola Figueiredo Marinheiro
Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira, Fundação Oswaldo Cruz (IFF – Fiocruz), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Recebido 26 Junho 2014, Aceitaram 11 Julho 2014
Resumo

O diabetes mellitus do tipo 2, um problema de saúde pública, tem seu diagnóstico e tratamento negligenciados na prática clínica. Embora a abordagem terapêutica tenha avançado nas últimas décadas por meio da melhor compreensão de sua fisiopatologia e do desenvolvimento de fármacos que atuam nas diversas etapas dessa doença, o aumento de novos casos suscita a necessidade do conhecimento de outros alvos terapêuticos e de intervenções clínicas para a prevenção e o tratamento dessa doença. Evidências acumuladas em estudos transversais e longitudinais sugerem uma potencial participação da vitamina D na fisiopatologia do diabetes. Entretanto, os resultados são baseados em estudos clínicos com pequenas amostras, além de não considerar populações específicas, como, por exemplo, mulheres na pós‐menopausa, nem tampouco qual o nível de suplementação que deve ser ofertado para uma resposta clínica satisfatória. Com o aumento da expectativa de vida, a detecção precoce, o tratamento e a amenização de quaisquer distúrbios ou doenças que comprometam a qualidade de vida ou afetem os índices de morbimortalidade são essenciais para a melhoria da qualidade de vida. Fazemos uma atualização dessas duas epidemias no contexto de vida da mulher pós‐menopausa e das possíveis participações da vitamina D na fisiopatologia do diabetes mellitus do tipo 2.

Abstract

Type 2 diabetes has been an of public health concern and therefore has its diagnosis and treatment delayed in clinical practice. Although, its treatment has improved in the last decades by better pathophysiology understanding and development of medicines that act in different phases and levels, the increase of new cases of diabetes claim for knowledge about newest terapheutics targets in order to prevent and treat this disease. Accumulated evidences from crossover and longitudinal studies suggested a potencial participation of Vitamin D in diabetes pathophysiology. However, the results are based on clinical studies with a few sample and do not consider specifical populations like post menopausal women as did not determine dose of vitamin D that need to be offered. Early diagnosis, treatment and relieve of disorders and diseases that compromise the quality of life are extremely usefull in face to longest aging. We bring up an atualization about how vitamin D could take part on diabetes pathophysiology and some studies results.

Palavras‐chave
Vitamina D, Diabetes mellitus tipo 2, Pós‐menopausa, Envelhecimento
Keywords
Vitamin D, Diabetes mellitus type 2, Postmenopause, Aging
Reprod Clim 2014;29:54-9 - Vol. 29 Núm.2 DOI: 10.1016/j.recli.2014.08.002